Transição para Sistemas de Energia Sustentável

Os projetos conduzidos pela marca VINCI Energies desde 2014 na Indonésia, no Burkina Faso e no Brasil evidenciam a mesma preocupação com o acompanhamento de uma coletividade ou de um organismo, compartilhando know-how desde o início do processo, em setores da transição energética e da transformação das regiões.

Não é por acaso que o caminho da Omexom cruza regularmente com o de instituições de financiamento público como a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) ou ainda o recém criado Fundo STOA, dois atores do financiamento de projetos de desenvolvimento sustentável em países emergentes.

Os projetos conduzidos pela marca VINCI Energies desde 2014 na Indonésia, no Burkina Faso e no Brasil evidenciam a mesma preocupação com o acompanhamento de uma coletividade ou de um organismo, compartilhando know-how desde o início do processo, em setores da transição energética e da transformação das regiões.

Na Indonésia, por exemplo, a AFD delegou à Omexom a realização de planos diretores para a iluminação das cidades de Mataram e Bogor, bem como estudos prévios no que se refere a modelos contratuais. “Esses estudos promovidos pela AFD permitem às cidades que se lancem em projetos de desempenho energético ambiciosos, ao mesmo tempo em que melhoram as infraestruturas de iluminação urbana de forma duradoura”, explica Alain Guillaume, Business Development & Marketing manager da Omexom.

No Brasil, a Omexom apoiou a AFD com um estudo para identificar, em quatro grandes cidades – Belo Horizonte, Curitiba, Recife e São Paulo, os atores e os projetos de Cidades Inteligentes que poderiam ser beneficiados de um apoio financeiro para a sua realização. “Nossa competência em termos de engenharia territorial nos permite dar apoio estratégico e técnico ao poder público e acompanhá-lo continuamente em projetos de ordenamento urbano”, indica Leonor Gauthier, Project manager da Omexom.

Se a AFD acompanha projetos de desenvolvimento, sua filial comum com a Caisse des Dépôts, o chamado Fundo STOA, tem participação em empresas privadas fornecedoras de energia limpa. “A finalidade é investir em projetos rentáveis, participando dos objetivos de desenvolvimento sustentável com parceiros confiáveis como a VINCI Energies”, salienta Charles-Henri Malécot, diretor geral e ex-executivo da AFD. Para tanto, o Fundo estuda projetos de investimento como a implementação de micro-redes na Indonésia pela Omexom.

 

Transferência de conhecimentos e de competências

O desenvolvimento sustentável também passa por recorrer a empresas regionais e pelo aumento de competências de serviços técnicos locais, aspectos importantes tanto para a AFD quanto para a Omexom. A formação fez parte dos projetos na Indonésia e Burkina Faso, onde a Omexom realizou a instalação da maior central fotovoltaica da África Ocidental. Os executivos locais foram formados para dirigir equipes da região durante a realização, mas também nas fases subsequentes, como a de manutenção.

Anterior Voltar à lista Voltar à lista